REVIVA O PASSADO, SEM SAIR DO PRESENTE

De 22 a 24 de julho, é como se o tempo tivesse parado e voltássemos a viver junto dos reis e das rainhas, dos nobres e dos burgueses, dos artistas e artesãos, dos poetas, dos boémios e dos bacharéis que povoam as ruas. E das monjas, que voltam a dar vida ao Mosteiro de Arouca. Aqui chegam altas individualidades, que hoje fazem parte da história, mas ganham nova vida, e interrogam-nos, falam-nos, dão-se a conhecer. Viajamos no tempo, dentro do tempo, sem sair do presente, e revivemos o incêndio que a Rainha Santa Mafalda, miraculosamente, aplacou. A vila veste-se a rigor, para os dias de festa. O Mosteiro está em frenesim, com as freiras a ocuparem os seus devidos lugares. E o povo, cá fora, canta e dança enquanto descansa do labor dos seus ofícios, sem sair sombra do edifício onde a Abadessa gere estas terras. De 22 a 24 de julho, vai querer fazer parte desta história, em «Arouca, uma Recriação Histórica»